(por: José Rodolpho Assenço)

                      Conta uma lenda de origem indígena, Tupi-guarani, que o Rio Iguaçu corria, inicialmente, sem nenhuma cachoeira.

cataratas

cataratas

                        Os índios que habitavam a região acreditavam ser o Pajé Mboí um deus poderoso e filho de Tupã. Em um determinado dia, a filha do cacique, a bela Naipi, seria consagrada em um importante culto conduzido pelo Pajé.

queda_no_iguaçu_com_arco_iris

queda_no_iguaçu_com_arco_iris

                        Porém a jovem se apaixonou por um guerreiro da tribo e fugiu com ele exatamente no dia dessa importante cerimônia, descendo o rio de canoa. Naquele momento, o Pajé, enfurecido com o acontecimento, teria provocado, com seus poderes enormes, desmoronamentos no rio, formando as cataratas.

arco_iris_no_iguaçu

arco_iris_no_iguaçu

Teria acontecido que a singela canoa dos amantes, não conseguindo escapar das correntezas, levou os amantes a cair nessas imponentes cataratas, transformando ele em uma palmeira à beira do rio e ela, em uma pedra junto à grande catarata.

cataratas e pedras

cataratas e pedras

                        Com isso, o amante foi condenado a contemplar sua amada sem poder tê-la; e ela, a sofrer eternamente o açoite das águas.

                        Sabe-se que o primeiro descobridor das Cataratas do Iguaçu foi o espanhol Alvar Nuñez Cabeza de Vaca, em 1542.

cataratas_do_iguaçu

cataratas_do_iguaçu

                        As cataratas formam um complexo de 275 cachoeiras por quase três quilômetros de rio, com quedas em média de 60 a 80 metros de altura. A única exceção é a Garganta do Diabo, que conta com aproximadamente 90 metros de altura e 700 de comprimento, separando o Brasil da Argentina.

queda_e_arco_iris

queda_e_arco_iris

                        Grande parte das cataratas está no lado argentino, mas o conjunto proporciona um visual ímpar em ambos os países. Sabe-se também que uma grande área foi destinada a parques nacionais, designados patrimônio mundial da UNESCO.

vista_das_cachoeiras_na_argentina

vista_das_cachoeiras_na_argentina

                        No começo desse mês de julho de 2014, tive a oportunidade de visitar tanto o lado brasileiro como também o argentino em companhia de meus filhos. Fazia muito tempo que não visitávamos tal lugar. Tivemos a imensa satisfação de presenciar uma grande cheia do rio Iguaçu, o que provocou, na Argentina, restrição de visita a determinados locais, tendo em vista os riscos decorrente do grande volume de água.

ilha_e_argentina

ilha_e_argentina

                        No território brasileiro, o passeio, sim, foi completo, proporcionando-nos a oportunidade de contemplarmos a grande cheia, um gigantesco volume de água que despencava.

queda_da_catarata

queda_da_catarata

                        Iniciamos nosso trajeto em uma trilha de descida por aproximadamente 1,5 quilometro em local extremamente agradável de mata exuberante e húmida; passamos e registramos fotos em alguns pontos e mirantes; pudemos observar todas as quedas no lado argentino.

vista_das_cataratas

vista_das_cataratas

                        Percorrida essa distância, chegamos à passarela. Nesse local, colhi muitas fotos. Continuando na caminhada, fomos surpreendidos, tanto pelo grande volume de água, como pela mudança do vento. Na ocasião, surgiu uma espuma de água que começou a cair sobre nós, obrigando-nos a ficar na metade do trajeto da passarela.  

passarela_nas_cataratas_do_iguaçu

passarela_nas_cataratas_do_iguaçu

                        Seguimos, no entanto, para o mirante do andar superior, a fim de registrar a principal queda d’água e, ainda, toda a espuma provocada ao fundo pela Garganta do Diabo. O interessante é que, nesse local, há uma loja de roupas, souvenires e conveniência e um elevador que nos remeteria ao topo do local de onde iniciamos nossa descida. 

vista_da_passarela

vista_da_passarela

                        Questionado pelos meninos se subiríamos de elevador e, ainda, diante da fila que havia para tal feito, reacendeu toda a minha impaciência, o que nos provocou uma subida por trilha, que foi, na verdade, muito agradável e gratificante.

                        Já havia visitado as cataratas por uma dezena de vezes e confesso que a cada visita sempre me surpreendo com esse maravilhoso lugar.