(por: José Rodolpho Assenço)

                         Quando de minha penúltima viagem ao Tocantins, não pude deixar de retratar, nas cidades históricas desse novo Estado, momentos da vida de Joaquim Teotônio Segurado, português de nascimento, porém radicado em nosso país e apaixonado pelo Brasil Central. Foi advogado, escritor, ouvidor, comendador, corregedor, desembargador, deputado e governador.

Igreja_nossa_senhora_do_rosário_dos_pretos

                        Nascido em Moura, Portugal, no ano de 1775, iniciou sua vida pública em São João del Rei, Minas Gerais. Foi nomeado desembargador da relação do Rio de Janeiro em 1805. Já em 1808, foi nomeado desembargador da comarca de Goiás. Desempenhou as funções com muito esmero e criou um projeto para buscar alternativas comerciais para a então capitania, construindo estradas, companhia de comércio e navegação no Rio Tocantins, além de ter desenvolvido a lavoura na região.

                        No ano de 1809, o Príncipe Regente dividiu a capitania em duas comarcas. Permaneceu a Comarca do Sul com Vila Boa e a Comarca do Norte, ou Comarca de São João de Duas Barras, com os arraiais de Natividade, Porto Real, Conceição, Arraias, São Felix, Cavalcante, Flores e Traíras. Determinou ainda o referido Príncipe que a nova comarca seria dirigida pelo ouvidor Joaquim Teotônio Segurado.

casarão_em_natividade

                         Logo em 1814, Segurado seguiu para Natividade, capital provisória da nova comarca, enquanto não cumprisse as determinações do príncipe de se criar uma Vila que inicialmente pensava-se seria na junção dos rios Tocantins e Araguaia, algo que não se concretizou devido aos constantes ataques indígenas e a Maleita.

igreja_de_nossa_senhora_de_natividade igreja_de_santo_antonio

                        Em 1815, instalou a Vila de São João de Palma (hoje Paraná, TO) para ser a sede.

                        Teotônio Segurado lutou pela independência da Comarca do Norte da Capitania de Goiás e conseguiu, por intermédio de Dom João VI, estatuto de capitania para ela.

casa_em_natividade casas_em_natividade

                        No Reinado do Regente Dom Pedro I, foi também eleito deputado pela Província de Goiás nas Cortes Portuguesas e, por fim, seguiu para Portugal.

                        Com a independência do Brasil, perdeu todos os títulos que tinham sido concedidos por Portugal. Provavelmente devido as lutas pela separação da província, Segurado não foi agraciado por Dom Pedro I, mas, ainda assim, voltou ao Brasil para morar em sua fazenda na Vila de Palma com a esposa e os filhos.

                        Nesse novo contexto é certo de que houvera um retrocesso comercial da comarca, e houve esforços para reunificar Tocantins ao Sul goiano.

                        Por fim, aos 56 anos de idade, isolado pelas lideranças da Província e do Reinado, morreu assassinado pela própria esposa, Bruna Maria Santanna, em sua fazenda, em 14 de outubro de 1831.

café rua_em_natividade

                        Esse grande homem somente teve seu merecido reconhecimento há muito pouco tempo. Deu nome a principal avenida da capital do Tocantins, Palmas. Além disso, o Tribunal de Justiça do Tocantins criou a comenda Teotônio Segurado, a maior homenagem do estado aos cidadãos ilustres.

casa_de_teotônio_segurado palacinho

                         Com fotos de Natividade e em especial da casa onde Teotônio Segurado residiu — que fica bem enfrente da Igreja Matriz de Nossa Senhora de Natividade e ainda fotos de outra casa que dizem, fora erguida por ele em formato de palácio — busquei mostrar o cotidiano dessa importante figura.