(por: José Rodolpho Assenço)

                       Encontrava-me hospedado na Praia do Francês, em um domingo de janeiro do corrente ano. Sabedor de que as praias e locais próximos a Maceió estavam por demais lotadas de turistas, principalmente os de fim de semana, achei por bem realizar um de meus planos: visitar o Pontal do Coruripe, lugar de rara beleza.

                        Peguei a ferramenta principal, a máquina fotográfica, e parti pela AL 101, estrada costeira estadual que prossegue rumo sul. Sabia que essa via encontrava-se em reforma e que, por isso, nem todo o trajeto de pouco mais de cem quilômetros seria tranquilo.

                        Após a entrada para São Miguel, observei que a via piorara muito. Deparei-me com alguns percalços, mas não desanimei.

                        Pouco antes da cidade de Coruripe, a aproximadamente uns oito quilômetros entrei na via que segue ao Pontal, deparei-me com uma pequena vila, onde conheci a Igreja de Bom Jesus dos Navegantes e o marco do naufrágio da nau Nossa Senhora da Ajuda, que conduzia o bispo Dom Pero Fernandes Sardinha a Portugal,  em 1560, pelo navegador espanhol Dom Rodrigo de Albanha.

igreja_de_bom_jesus_dos_navegantes registro_do_naufragio

                        Seguindo em frente pela vila, cheguei ao Farol e ao belo Pontal de Coruripe. Esse farol, símbolo da cidade, foi construído em local estratégico em 1948.  À sua frente, uma das praias mais belas do litoral sul, com arrecifes muito próximos, além das piscinas. Grande oportunidade de se desfrutar de uma cachoeira provocada pela ação do mar.

farol_do_pontal

                        Relatos da historia local e, os marcos, próximo ao farol informam que esse foi o primeiro ponto avistados pelas caravelas de Pedro Álvares Cabral, quando do descobrimento.

enseada

                        Desci à praia e de lá tive a oportunidade de colher várias fotos do mar e desse litoral.

praia_no_pontal_do_coruripe praia_do_pontal

                        Após algumas horas de praia e de descanso em uma barraca local, aguardei o final da tarde para prosseguir até à cidade de Coruripe para lá registrar a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição de Coruripe, onde se encontra uma grande torre retangular em um outeiro que propicia a visão parcial da cidade, e também da Igreja de São José de Poxim, marco da criação da vila de Coruripe.

matriz_de_nossa_senhora_da_conceiçao

                        Por sorte, em determinado momento, e no ângulo certo, consegui registrar concomitantemente as duas Igrejas em uma única foto.

igreja_de_sao_jose_do_poxim

                        Coruripe, anteriormente, era habitada pelos índios Caetés, que viviam às margens do rio de mesmo nome.

                        Consta que tais índios eram considerados canibais e que chegaram a se alimentar também de seus inimigos. Relatam também que o início da colonização desse local se deu pelos sobreviventes do naufrágio da Nau de Dom Pero Fernandes Sardinha.

cemiterio_de_coruripe