(por:  José Rodolpho Assenço)

O Rio de Ondas está para os moradores de Barreiras, na Bahia, assim como a praia está para os diversos litorâneos. É um local de  congraçamento de famílias e visitantes no fim de semana, bem como ponto turístico e de lazer para aqueles que visitam — ou passam — pela cidade. Além de importante ponto turístico é, ao mesmo tempo, clube de lazer e de eventos. Está intimamente ligado à história da cidade e à do interior baiano.

rio_de_ondas

                        A ocupação do sertão baiano se deu a partir das entradas e bandeiras, subindo o Rio São Francisco, até a foz do Rio Grande local do inicio da colonização onde hoje é a cidade de Barra.  Ainda no século XVII, por ordem do Rei de Portugal, essa região começou a ser explorada e habitada. Algumas localidades se formaram ao longo do Rio Grande, notadamente em sua extensão navegável, sendo que a mais longínqua delas “Porto de Barreiras” ganhou conotação de importância, levando em conta a sua localização ocidental, como porto de desembarque e embarque de mantimentos que seguiam em tropa de animais para a então recém-ocupada região do Brasil central nos garimpos de ouro.

                        O referido porto foi o último navegável do Rio Grande, pois, logo acima, havia grandes barreiras de pedras e a serra, tudo isso impedindo o prosseguimento das embarcações. Por essa razão, ganhou o nome de “Porto de Barreiras”, em referência às obstruções do percurso.

                        Como o arraial, na condição de porto fluvial, prosperou rapidamente, houve mudança do nome para “São João de Barreiras”, em homenagem ao seu padroeiro.

                        Teve ainda o crescimento incrementado no século XIX, com a atividade econômica da extração da borracha de mangabeira, produto abundante naquela área.

                        No século XX, a região ganhou ainda mais impulso com a construção da segunda hidroelétrica da Bahia, o que lhe trouxe crescimento industrial. E por fim a construção da rodovia BR 242, ligando Brasília a Salvador e ao nordeste, transformando, assim, o local em importante entroncamento comercial.

                        Seguindo-se a partir das barreiras de pedras, temos os afluentes do Rio Grande, com destaque para o simpático Rio de Ondas, que desce da serra e percorre mais de vinte quilômetros em suas corredeiras.

corredeiras

                        Ressalte-se que, além do rio, existe ainda no município de Barreiras diversas cachoeiras, o que compõe um conjunto de atividades de ecoturismo na região.

                        O Rio de Ondas ganha das demais atrações ainda pela comodidade, uma vez que acompanha a rodovia federal por alguns quilômetros e é de facílimo acesso. Diversos bares e restaurantes estão instalados em suas margens, uma possibilidade de conforto e de comodidade a quem visita o local, destacando-se o restaurante “A Casa do Rio”, o qual oferece, além dos atrativos do rio, uma boa refeição.

restaurante_casa_do_riono_rio_de_ondas

                        Mas para quem quer conhecer melhor o rio, recomendamos contratar um passeio de balsa rio abaixo, um “rafting soft”, partindo de carro até uns quinze quilômetros serra acima, de onde é feito o embarque para o passeio.

rafting_no_rio_de_ondas corredeiras_no_rio_de_ondas

                        Descendo o rio a partir desse ponto, pode-se observar diversas casas de veraneio, algumas residências, bem como pequenas praias, tudo ponto obrigatório de parada para um mergulho em águas cristalinas.

casa_as_margens_do_rio_de_ondas remanso

                        Rio abaixo, chegamos ao Country Club. Passamos por algumas pousadas até o ponto final do passeio próximo ao restaurante, A Casa do Rio.

praia_no_rio_de_ondas bar_no_rio_de_ondas

                         A população local desfruta do rio da forma como pode. Nos fins de semana, por exemplo, é comum observar algumas pessoas descendo o rio, em suas corredeiras, por meio de “bóia-cross”, que nada mais é do que descer o rio montado em câmaras infladas de Pneu de caminhão.