(por: Cleber Medeiros)

Uma das atividades mais interessantes que desenvolvemos em nossas andanças é, sem dúvida alguma, a garimpagem de histórias. Sempre que estamos na estrada, procuramos fugir um pouco dos cronogramas que nós mesmos criamos, parando em bares, restaurantes, rodas de prosa ou quaisquer outros locais que tenham pessoas que conheçam outras pessoas que vivenciaram momentos importantes e pouco conhecidos da história local.

De passagem por Natividade, após fotografarmos alguns cenários naturais e entrevistarmos algumas pessoas, acreditávamos que o trabalho estava encerrado e poderíamos voltar para Brasília ou arriscar uma breve visita até a cidade mais próxima. Paramos para pedir informações em um bar na beira da estrada, perguntamos se havia mais cenários naturais interessantes para fotografar, e nos disseram que não poderíamos partir sem antes conhecer a Dona Romana e suas esculturas de pedra espalhadas por uma área de aproximadamente cinco mil metros quadrados. Disseram ainda que ela via discos voadores, espíritos e falava sobre a salvação do mundo por meio de suas obras.

Partimos para sua chácara um tanto reticentes, mas estávamos imbuídos pela boa e velha curiosidade humana.

A primeira impressão foi de estranheza, entretanto, fomos muito bem recebidos – inicialmente com um pouco de desconfiança por parte da anfitriã.

_CSM7702-net_CSM7703-net

Não pude deixar de fazer uma associação imediata ao artista Artur Bispo do Rosário, que utilizava a arte como terapia para sua própria loucura, entretanto, já nas primeiras palavras, percebi que Dona Romana não tinha nada de louca, era consciente inclusive do que algumas pessoas pensavam a esse respeito e explicava suas crenças de uma forma natural, exatamente como faz qualquer religioso ou exotérico.

_CSM7693-net

Suas esculturas espalhadas por um jardim de aproximadamente 5 mil metros quadrados, que lembra um labirinto grego, mesclam o emprego de pedra canga, cimento, vidros, metais, espelhos e arames, e podemos reconhecer nelas alguns personagens conhecidos, como cangaceiros, São Jorge, Cristo e figuras de animais, cruzes, aviões e discos voadores. Algumas obras remetem também aos Moais da Ilha de Páscoa.

_CSM7667-net _CSM7674-net

Segundo a crença de Mãe Romana – como é conhecida localmente – suas obras foram criadas para salvar a Terra após a colisão com um meteoro que reequilibrará o eixo de rotação do planeta, que ela acredita que está fora da órbita natural e por isso estamos passando por desequilíbrios em todo o mundo.

_CSM7645-net_CSM7661-net

Ela conta que começou a ter visões há mais de trinta anos e, após um médico sugerir que o problema dela seria espiritual,passou a aceitar a missão de preparar o planeta e a humanidade para a “firmeza do grande eixo”.

_CSM7656-net _CSM7654-net

O jardim das pedras seria um refúgio para os sobreviventes do cataclismo. Nele, além de sua própria residência, há um enorme galpão onde são estocadas toneladas de grãos, roupas e água potável dentro de garrafas pet (a pessoa que nos indicou o sítio disse: quer agradar Mãe Romana? Leva garrafas de refrigerante vazias).

_CSM7680-net _CSM7685-net

Senti vontade de pedir a ela que me aplicasse um passe, pois acredito na possibilidade de neutralizar as energias negativas que carregamos,  mas fiquei sem jeito de pedir-lhe, me conformando em aceitar um café passado na hora e pensando nas fantásticas histórias que eu poderia contar aos meus filhos e leitores.