VALENÇA e a Igreja de Nossa Senhora do Amparo

(Por: José Rodolpho Assenço)

                        Valença cidade baiana situada na região conhecida como costa do dendê, possui uma rica história, e duas belas Igrejas com destaque especial para a Igreja do Amparo, símbolo da ocupação dessa região ainda no século XVI.

                        Em nossa visita a Valença, eu e Nayara decidimos por conhecer e fotografar em especial o porto por onde saem insistentes lanchas rápidas para ilha de Tanharé, Boipeba e demais portos fluviais, e também suas imponentes Igrejas.

valença

porto-de-valença

                        Para tanto partimos de Salvador e fizemos a opção de seguir rumo a Feira de Santana e buscar a BR 101, isto devido as informações que obtivemos de que nesse mês de fevereiro, com tantos turistas e poucos Ferryboat em funcionamento, teríamos que enfrentar muitas horas de espera para a travessia a Itaparica rumo centro sul do estado.

                        A historia da região começa com o povoamento as margens do Rio Una, onde, acontecia constantes ataque de índios em especial Tupi e Tapuia. O povoamente caiu em decadência e ficou quase desabitado por muito tempo, até quando da pacificação dos indos pelos padres por volta de 1740, quando também a aldeia do Una, na região do Amparo ganhou uma pequena capela em 1754.

valença

vista-parcial-de-valença

                        Em 1759 foi construída a Matriz do Sagrado Coração de Jesus, com diversas artes sacras defronte ao Paço Municipal.

                        A estrutura da nova igreja, porem, foi terminada em 1780 e em 1799 Valença foi elevada a Vila Nova do Sagrado Coração de Jesus.  A fé do povo enraizada continuou a adoração a sua padroeira Nossa Senhora do Amparo.

                        Valença teve um grande incremento populacional com a industrialização em meados do século XIX, com duas grandes fabricas de tecidos; Todos os Santos e Nossa Senhora do Amparo.

valença

valença

                        A Igreja de Nossa Senhora do Amparo, localizada no alto do Amparo, local onde, havia o primitivo povoamento de Una, possui uma construção grande retangular e com duas torres sendo que, em uma delas possui um relógio de 1822 que ainda esta em funcionamento e que, aciona o sino de hora em hora.  Possui cinco portas, inúmeras janelas, um rico interior contanto com cinco altares neoclássicos e diversas imagens sacras.

valença

igreja-de-nossa-senhora-do-amparo

                        Retornando a nossa visita, seguimos margeando o porto fluvial, tirando fotos das lanchas, barcos e traineiras alem da área de embarque bem próximo à ponte que atravessa o rio Una.

valença

cais-em-valença

                        Em seguida, partimos em direção ao paço municipal, onde, subindo uma escadaria, chegamos a Matriz do Sagrado Coração de Jesus em um platô bem estreito, do qual rodeamos uma vez tirando fotos do local.

Matriz do Sagrado Coração de Jesus

Matriz do Sagrado Coração de Jesus

                        E nosso terceiro e ultimo paradeiro foi no Alto do Amparo, de onde se pode observar quase toda a cidade de Valença, e onde esta a imponente Igreja de Nossa Senhora do Amparo.

                        Após estacionarmos, seguimos sobre pedras até atingir um portão de ferro que estava repleto de fitas do Senhor do Bonfim, presas em seu gradio, e por onde já se podia observar logo atrás a Igreja do Amparo. 

valença

Igreja-de-nossa-senhora-do-amparo

                        Achei tão interessante as fitinhas balançando ao vento, que decidi fotografa-las.

                        No Amparo existe um grande platô, no qual decidimos caminhar sempre pela sua borda, e de onde pode avistar toda a cidade.  Logo a frente um pequeno coreto onde algumas crianças brincavam, e, em seguida ao fundo a Igreja do Amparo.

valença

patio-da-igreja-de-nossa-senhora-do-amparo

                        Permanecemos por alguns minutos nesse agradável sitio, recebendo aquele vento constante do nordeste, fotografando e observando o local.

fonte: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ba/valenca/historico

IMBASSAI – De Aldeia a importante destino turístico

(Por: José Rodolpho Assenço)

                        Imbassai tem origem em uma aldeia indígena que denominou o local dessa forma, e que significa em tupi “o caminho do mar”, provavelmente se referindo ao rio que caminha tranqüilo para o oceano com águas escuras.

rio-imbassai

                        No verão próximo passado, me recuperava de um acidente sofrido, e mesmo com dificuldades de locomoção tive em companhia de Nayara a oportunidade de fazer um grande tur pelo litoral da Bahia, em especial o litoral norte e central começando este passeio exatamente nessa vila.

                        Imbassai é distrito de Mata de São João na Bahia e esta localizada a aproximadamente uns oitenta quilômetros de Salvador e apenas dez quilômetros da badalada Praia do Forte, sede do projeto TAMAR.

igreja-em-inbassai

                        A localidade antes aldeia passou a ser um povoamento, e com a construção da Linha Verde, estrada que margeia o litoral norte seguindo até Aracajú, e, impulsionada também pelo desenvolvimento do Forte, começou a receber à infra-estrutura necessária para o desenvolvimento turístico.  

                     Hoje conta com inúmeras pousadas de bastante conforto, alguns importantes resorts, e sua vila esta lotada de lojas de roupas de praia, restaurantes, bares e souvenirs.

comercio-em-imbassai

                        Sua praia é quase toda deserta, com mais de seis quilômetros de extensão, repleta de grandes dunas destino ideal para quem deseja sossego, ou praticar turismo ecológico.

praia-de-imbassai

                        Não é a primeira vez que visitei Imbassai, já estive no local acompanhado de minha tia que morava na Praia do Forte, e que constantemente vinha a Imbassai tomar um banho de mar, ou de rio, ou ainda comer uma pitu.

                        Nessa ultima ocasião fiquei na pousada de sua amiga Vera, que fica localizada a uma curta caminhada para o centro da vila.

                        Imbassai é composta de algumas poucas ruas empedradas, sendo uma comercial onde possui o mercado, e que da acesso a praça na qual estão a maioria das lojas comerciais e restaurantes.  No caminho existe um bar que a noite sempre tocava rock e que foi por nós freqüentado algumas vezes.

praça-de-imbassai

                        Dos poucos dias que ficamos na vila, escolhi um para fazer um bom registro fotográfico da vila e do caminha da praia, após se atravessar a praça, segue por um estreito caminho entre restaurantes, e que finaliza em uma ponte e deck de madeira levando tanto para o outro lado do rio, onde existem inúmeras mansões, como também para um pequeno porto onde se embarca para seguir até a praia.

                        Seguimos assim a ponte e embarcamos em uma jangada com cobertura que é tocada manualmente com o varão, e a partir daí atravessamos um trecho do rio até chegar a sua foz, onde inicia a praia com alugmas barracas de praia.

cais-de-jangadas-em-imbassai

                        Na praia escolhemos uma barraca e nos instalamos ali, momentos seguintes ainda aproveitando do sol um pouco baixo e o frescor da manhã aproveitei para uma caminhada na areia, recomendação para minha fisioterapia, bem como também para realizar minhas imagens do local.

praia-de-imbassai

                        Logo após uma rápida caminhada e ultrapassando as seis barracas existentes, logo a praia se transforma em deserto, onde se pode observar poucas pessoas caminhando.  Longe pode se observar alguns passeando com quadriciclo.

                        No retorno de minha caminhada então decidi entrar no mar que embora seja aberto, não se apresentava bravio, e onde permaneci por bastante tempo intercalando sempre com um tempo na barraca pegando sol.

                        Como não comemos nada na barraca pelo meio da tarde voltamos da praia novamente de jangada, porém, ficando em um restaurante logo ao final da ponte de madeira.